livro Minha Vida na França - Julia Child
A inspiração para começar algo incrível pode vir "do nada". Mas é fato que, depois de se inspirar, você precisa transpirar muito para fazer isso acontecer. A jornada de Julia Child é um bom exemplo disso.

Aos 35 anos, essa americana não sabia cozinhar direito — embora comer fosse um prazer que ela cultivasse muito bem. Em 1948, ela foi morar com seu marido na França e lá decidiu se matricular em um curso de culinária da famosa escola Le Cordon Bleu. Não foram poucas as dificuldades — nem as horas de cozinha — mas seu encantamento pela culinária francesa crescia a cada dia e, depois de certo tempo, ela aprendeu a cozinhar muito bem.

Logo veio a vontade de levar a culinária francesa para as donas de casa americanas, então nasceu o sonho de escrever um livro de receitas adaptadas à realidade delas. Mas para esse "filho" nascer (adivinha!) foi necessário passar por ainda mais dificuldades e horas de trabalho. Muito trabalho. Muito mesmo. Mas ela contou com a ajuda de suas amigas Simca (principalmente) e Lousete. E com o apoio de seu marido Paul, claro!

As receitas foram testadas e revisadas, para que não restassem dúvidas às leitoras na hora da execução. E as autoras ainda adicionaram dicas, caso algo desse errado. Você consegue perceber que Julia e Simca realmente se dedicaram muito para fazer um livro primoroso, rico em detalhes. Trabalho bem feito é algo realmente inspirador! ^^

E então Mastering the Art of French Cooking é, finalmente, publicado. Essa parte da leitura foi especialmente emocionante! E logo as portas se abriram para que Julia apresentasse um programa culinário na TV. Veja que simpática senhora ela era:


Na época Julia inspirou muitas pessoas a cozinhar "comida de verdade" para suas famílias, pois na década de 60 a comida congelada já era comum nos Estados Unidos. E seu legado perdura até hoje...

Ela foi uma cozinheira de personalidade, sabe? Falava sobre deixar um frango com gosto "frangal", por exemplo, o que quer dizer deixar o sabor do prato realmente aparecer, em vez de "matá-lo" com uma infinidade de especiarias. É uma visão interessante...

Os anos foram passando e a vontade de aprender e trabalhar perduraram até o fim da vida de Julia. A perseverança dela e de seu marido para conseguir descobrir como fazer uma autêntica baguete francesa em um forno caseiro é realmente admirável... Essa persistência para encontrar a melhor forma de fazer as coisas e a vontade de compartilhar isso com as outras pessoas realmente me encantaram.
livro Minha Vida na França - Julia Child
Minha Vida na França detalha muitos pratos e a forma de prepará-los, enquanto traz vários termos em francês — os amantes do idioma certamente vão se divertir. Além disso, essa biografia permite conhecer alguns lugares interessantes: Paris, Marsella e Alemanha. Paul trabalhava na embaixada, o que também nos proporciona aprender um pouco sobre a visão americana e seus objetivos diplomáticos em pleno Pós Segunda Guerra Mundial. Os sentimentos dos franceses e alemães também são retratados algumas vezes, de forma leve e sutil, conforme a Julia reparava em seu dia a dia.

Essa foi uma excelente leitura! Me identifiquei com essa senhorinha que encontrou sua vocação profissional aos 30 e tantos anos... E como Deus lhe deu mais de 90 anos nesta terra, ela conseguiu contribuir muito com sua vocação. Talvez ainda não seja muito tarde para você, hein?
livro Minha Vida na França - Julia Child
A história de Julia Child também é retratada no filme Julie e Julia. As cenas da vida de Julia são intercaladas com as de Julie Powell, uma americana que se inspirou no Mastering the Art of French Cooking para viver uma aventura na cozinha. Publiquei uma resenha desse filme incrível no meu blog de confeitaria artística. Não se esqueça de me visitar lá e conhecer minha arte!


Título original: My life in France
Autor: Julia Child, com Alex Prud'homme (americanos)
Exemplar que li: Minha Vida na França, Editora Seoman, 352 páginas
Categorias: biografia, cozinha francesa, culinaristas


2 Comentários

  1. Oi Dafne!

    Você assistiu o filme e depois leu o livro, isso? Gostei tanto dos comentários do filme (no Doce Arte) como do seus comentários aqui :)

    Depois dos 30 por que não? Inspirador!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii!

      Sim, primeiro vi o filme.

      Obrigada! pela visita!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...