capa do livro Pollyanna Moça  escrito por Eleanor H. Porter

Impressões: um pensa que é uma coisa, enquanto o outro pensa que é outra. Embora a realidade às vezes nada tenha a ver com o que foi pensado.

E as atitudes são influenciadas pelas impressões, é claro! Porque, se não cuidar, impressão passa a ser verdade. Nem que seja só na cabeça de quem a percebeu. Ou concebeu?

É impressionante como, às vezes, a vida parece aquela brincadeira de "telefone sem fio".

Está confuso? Bom... tem uma parte do livro Pollyanna Moça que deixa isso tudo muito claro. Para poder entender, você precisa ler o livro quase até o fim. Mas vamos começar pelo começo desse livrinho encantador...

Pollyanna Moça começa exatamente onde Pollyanna termina, mas não posso contar muito porque não quero estragar sua surpresa. O que você precisa saber é que nossa garotinha continua sendo uma garotinha (e ela vai passar mais da metade do livro assim). Só que agora ela conhecerá pessoas de uma outra cidade, que reservará outras aventuras.
contracapa do livro Pollyanna Moça  escrito por Eleanor H. Porter
Nossa garotinha continua apaixonada pelas pessoas e pela vida! E continua jogando o "jogo do contente"... Mas agora ela vai ver realidades mais duras do que ela mesma já viveu e vai perceber que o mundo é mais complicado do que ela pensava.

Sua tia Polly temia a respeito de quais transformações seu inocente coração sofreria no processo de amadurecimento... O que aconteceria se Pollyanna tivesse consciência das alterações que promove por onde quer que passa? Será que seu coração se tornaria orgulhoso? Será que essa consciência faria com que perdesse seu jeito natural de colorir a vida das pessoas?

Mais uma vez, a autora traz reflexões brilhantes sobre a hipocrisia humana. Dar esmolas é o mesmo que se importar? Ou pode ser apenas uma forma de aplacar a culpa por não se envolver com as necessidades do próximo? Essas são apenas algumas das perguntas que o livro deixa "no ar". Nem todas são respondidas, mas Eleanor H. Porter fez um excelente trabalho ao perguntá-las.
desenho do livro Pollyanna Moça escrito por Eleanor H. Porter
Ah... e tem a parte em que a Pollyanna vira uma moça: você vai descobrir quem ela se tornou aos vinte anos de idade. Confesso que senti falta de ver seus defeitos sendo mais desenvolvidos na trama, mas essa parte da história também é muito legal e traz momentos memoráveis. Nossa garotinha crescida até vai ser apaixonar! E ela não será a única a ter o coração arrebatado pelo amor...

Enfim, Pollyanna Moça tem o mesmo tom do primeiro livro: é uma história que aquece o coração, faz pensar e traz vontade de mudar. Esse livrinho também tem um lugar especial no meu coração! <3


Título original: Pollyanna Grows Up
Primeira publicação: 1915
Autora: Eleanor Hodgman Porter (americana)
Exemplar que li: Pollyanna Moça, Autêntica Editora, tradução de Márcia Soares Guimarães, 224 páginas
Categorias: ficção, literatura infantil, literatura infantojuvenil


6 Comentários

  1. Preciso ler esse livro! Reler o primeiro e seguir com esse.

    Acho que vou adquirir essas edições, achei lindas d+

    Parabéns pela resenha. Bj.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kelly! A Autêntica arrasou na arte dessas edições! ^^

      Obrigada pela visita e por comentar!

      Beijos!

      Excluir
  2. Oi Dafne!
    Esse fim de semana fui na Bienal aqui de Brasília e vi algumas edições lindas de Pollyanna e Pollyanna Moça lá mas acabei não comprando porque eu quero essa aí que você tem! hehe...
    Tenho muita vontade de ler esses livros, parecem ser histórias fofas que trazem aquele quentinho no coração!
    Beijos!

    Mais Uma Página

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Michelly!
      Deve ser muito legal ir em uma bienal!

      A edição da Autêntica está demais, né?

      Dei Pollyanna de presente pra uma sobrinha e depois ela comprou Pollyanna Moça, de tanto que gostou! E eu peguei emprestado!! ^^

      Obrigada pela visita! Bj!!

      Excluir
  3. Puxa, li esse livro na miha adolescência!
    Já faz taaaantos anos, hehehe
    Deu até vontade de reler.
    Parabéns pela resenha, Dafne!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...