Resenha: Somos todos (a)normais? (John Ortberg)
O nome original desse livro é Everybody's normal till you get to know them. Significa "todos são normais até que você os conheça". Essa frase faz sentido, não? Tenho certeza que isso já aconteceu com você: pensava que alguém era incrível até que, com a convivência, descobriu uns "defeitinhos básicos".

Mas por que sempre tem que ser assim? Logo no começo, John explica que é por causa da queda humana. Fomos criados à imagem e semelhança de Deus, mas... o pecado entrou na história e agora somos "defeituosos". 

Enquanto vivemos nessa condição, sofremos as consequências. Por exemplo: às vezes é bem difícil conviver com essas pessoinhas defeituosas. Mas quando você se lembra de que também tem defeitos, fica menos difícil ter paciência com o próximo. Afinal, "quem nunca pecou que atire a primeira pedra".

Embora haja tantas dificuldades, a vida em comunidade é preciosa e necessária: quando estamos juntos, nos aperfeiçoamos. Aliás, acho que John poderia ter falado um pouco mais sobre isso: a transformação que Deus quer fazer em nossas vidas enquanto ainda estamos neste mundo.
Somos todos (a)normais? (John Ortberg)
Gostei bastante do trecho que fala sobre os pecados "da carne" e "do espírito". Estamos sempre preocupados com os pecados da carne, que aparecem. Mas Jesus se escandalizava muito mais com os pecados do espírito. Eles são: orgulho, arrogância, hipocrisia e por aí vai...

Ah! Tem um outro ponto muito importante: o perdão. E o que exatamente é o perdão? Eu nunca tive dúvidas de que é algo necessário para: trazer paz ao coração ferido, promover a reconciliação e tornar possível a restauração do relacionamento. Também sempre esteve claro para mim que perdoar é um mandamento de Cristo (Marcos 11:25). Mas... como perdoar alguém? Não dá para "apertar um botão e pronto"!?

Somos todos (a)normais? me ajudou a entender melhor isso tudo. Ele fala que o perdão é baseado no princípio "você deve, eu pago". Perdoar é não exigir justiça, mas aceitar que a pessoa errou: devemos perdoar mesmo que não haja um pedido de perdão. Ele também conta que o perdão não é automático – você passa por alguns estágios até que seu coração seja transformado por Deus. E o Senhor sabe o quanto essa luta é difícil e que a mágoa é um pecado. Então Ele vai ouvir nossas orações e nos ajudar, vai mudar nossos corações. Perdoar, primeiramente, é uma decisão: eu quero perdoar.
Somos todos (a)normais? (John Ortberg)
Enfim, gostei muito do livro! Foi uma leitura agradável, bem humorada e profunda. Eu gosto de autores assim: que reconhecem suas falhas e me fazem lembrar, com naturalidade, que eu também as tenho. E, nas últimas páginas, John nos recorda de que lá no céu – quando formos restaurados – seremos finalmente normais. ^^

Título: Somos todos (a)normais?
Autor: John Ortberg (americano)
Páginas: 304
Editora: Vida

PS: gostaram da minha bola de flores (kusudama)? São 60 origamis cuidadosamente dobrados e colados. Eu fiz com a ajuda dos meus sobrinhos. :)


12 Comentários

  1. Parabéns pela resenha! Deu vontade de ler o livro!

    Já me inscrevi aqui por e-mail, curti sua página no Facebook e ficarei de olho a partir de agora ;)

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo blog! Muito bem feito. Também me inscrevi por email e te segui no instagram. Só falta curtir não face agora. Já vou lá fazer isso. Irei acompanhar as resenhas semanalmente. Se desejar me dá uma ajudinha também. 😀

    ResponderExcluir
  3. Oi, Dafne! Depois de ler seu comentário em que há o link do seu blog, eu corri para conferir seu espaço virtual. Gostei do título desse livro e decidi ler a resenha. Acho que nunca fui tão sincera em comentar numa resenha sobre o meu desejo de ler a obra resenhada quanto estou sendo agora. Sua experiência com esse livro me deu muita vontade de lê-lo!
    Sucesso com o blog!
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii! Fico muito feliz em saber!! Foi um livro que encontrei por acaso e que me surpreendeu! Às vezes acho que nos momentos que mais preciso Deus sempre manda um livrinho especial pra me abençoar.

      Abraços!!

      Excluir
  4. Ah, e eu amei as flores! Sou dessas que também fica aprendendo flor de origami para tirar fotos com os livros. ;)

    ResponderExcluir
  5. Oi Dafne, eu pensei que a bola de flores eram naturais kkk que lindas, eu amei, parabéns!! kk Eu já tentei fazer origamis, mas ficaram terríveis kkkk

    Amei a resenha também!
    Amoooooooo livros com ensinamentos cristãos, principalmente esses que falam com a gente como amigos; com amor e sem julgamentos!
    Os temas citados são muito importantes também, ainda mais o perdão né?
    Ler e aprender sobre ele, nunca é demais, afinal, devemos pedir perdão e perdoar sempre, o que, convenhamos, não é nada fácil! kkkkkkkk
    Amei muito a resenha, parabéns! E obrigada pela dica, lerei, com certeza!
    beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii! Fico muito feliz pelo seu comentário! Me incentiva muito a continuar a escrever!

      É, perdoar realmente não é fácil... Depois de terminar, eu até reli as partes sobre perdão... Eu gostei muito da visão panorâmica do livro, porque realmente há muita coisa interligada!

      Beijos!!

      Excluir
  6. Olá Dafne gostei da resenha. Nunca tinha ouvido falar desse livro, você acredita ?!

    Ahh é um desafio mesmo, viver em comunidade, perdoar... só Deus para nos ensinar.

    Amei sua bola de flores!!!

    Abs
    cafeebonslivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!! Eu também não, até achar ele "dando sopa" entre os livros antigos do meu marido. Resolvi ler e foi mesmo muito enriquecedor.

      Só Deus mesmo!!

      Obrigada por comentar!

      Beijos!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...